sábado, 10 de novembro de 2012


sobre telhados,
entre pipas e casas
os meninos
sem morada
querem
estar mais perto
de um céu.


14 comentários:

  1. Se eu fosse azul e me chamasse céu
    Estaria sempre sobre teus telhados

    ResponderExcluir
  2. Tão suave e bonito, mas a gente lê respirando devagar.

    ResponderExcluir
  3. A triste realidade em versos simples.

    ResponderExcluir
  4. Fazer deste mundo alguma espécie de lar.

    ResponderExcluir
  5. O simples passando a ser sublime. lindo.

    ResponderExcluir
  6. A sutileza dos seus versos me tocam, me entortam, me agradam como um vento bom.

    ResponderExcluir
  7. Palavras delicadas que exprimem uma sensibilidade tão bonita.

    ResponderExcluir
  8. O céu é invenção da palavra
    para menino poder brincar
    de asa e de pipa
    E ficar com gosto de azul
    ao voltar pra casa
    final da tarde.

    ResponderExcluir
  9. Mais perto de um lar, um aconchego ou abrigo.

    Tão leve.

    ResponderExcluir
  10. Limerique

    Era uma vez meninos ao léu
    Com pipas, linhas e carretel
    Em cima de telhados
    Com os olhos grudados
    No azul infinito do céu.

    ResponderExcluir
  11. "...pois quem mora lá no morro já vive pertinho do céu".

    Adoro seus poemas Vanessa.

    ResponderExcluir
  12. Não só os meninos sem morada...até eu,adoro ficar no telhado,pertinho do céu,principalmente a noite.

    ResponderExcluir