domingo, 21 de outubro de 2012



no inverso da pele,
o universo.



21 comentários:

  1. Adoro o que você escreve!

    ResponderExcluir
  2. infinito e infinitamente. se é que isso faz algum sentido.

    a gente se perde em um, e ainda acha que pode desvendar os outros, somos tão ingenuos, haha.

    beeijo!

    ResponderExcluir
  3. Se o mar adormecer em desvario
    As ondas não mais se formarem
    Se as gaivotas se perderem do ninho
    As árvores mais altas tombarem

    Se o dia não encontrar a manhã
    As nuvens deixarem de chorar água pura
    Se as pedras da ilha roubarem a cor ao verde
    As tuas palavras deixarem de ser raiva dura


    Boa semana


    Doce beijo

    ResponderExcluir
  4. Quem me dera ao menos uma vez me encontrar dentro dele e quem sabe, pôr algumas ideias em ordem, reconstruir o que eu mesma danifiquei e poder viver inteiramente livre nesse em que vivo, mesmo não sendo ele quimérico, como imagino ser o universo do inverso da pele...


    Flor.

    ResponderExcluir
  5. Sim, nossa alma é que recebe toda a nossa essência, todo o Ser que é transportado em ações, para o corpo. Belíssimo poema!!

    Beijos,

    Fernanda

    ResponderExcluir
  6. E por conta de todo esse universo, é impossível conhecer realmente até mesmo aqueles que estão em nossas vidas desde sempre.

    ResponderExcluir
  7. Adoro poemas curtos!

    Parece que eles falam mais... Lindo! Parabéns

    Seguindo vc, Conheça meus IMPROVISOS http://mailsonfurtado.com

    ResponderExcluir
  8. uma coisa linda esses seus poemas-pílulas. É uma alegria poder encontrar um blog tão bonito. Meus parabéns, de verdade.

    ResponderExcluir
  9. sempre há...e muitas vezes ele é enorme.
    beijos

    ResponderExcluir
  10. Você conseguiu de novo, sinteticamente perfeito.

    ResponderExcluir
  11. Seu toque criou mundos
    e amores dentro de mim.

    ResponderExcluir
  12. Limerique

    De mim prá fora universo cresceu
    Assim crescendo está no apogeu
    Mas aqui no interior
    Debaixo do cobertor
    Da pele para dentro apenas eu.

    ResponderExcluir
  13. E cada universo tem um gosto diferente.

    ResponderExcluir