sábado, 3 de maio de 2014


de si tiram poemas

para dos abismos
não se atirarem.
ainda assim 
se atiram.
já têm asas:
poemas que
não servem apenas
para fazer voar
mas levar

levemente
ao fundo
dos abismos.

11 comentários:

  1. ... e mais poemas tiram de si, para do fundo dos abismo se tirarem.

    Essas tuas palavras me fazem refletir.

    ResponderExcluir
  2. Se for inevitável a ida ao abismo que seja, pois, com leveza... um abraço!

    ResponderExcluir
  3. Belissimo!
    Me faz uma visita? http://mardeletras2010.blogspot.com.br/2014/05/que-jesus-cristo-os-abencoe.html

    ResponderExcluir
  4. Ai que linnnda!!!
    Conhecendo o blog AGORA e já estou gostando muito!!!
    Muito sucesso lindona!!
    To seguindo as redes ;*
    Beijão :*

    http://isabellalessa.com/

    ResponderExcluir
  5. Desci ladeiras de poemas
    Me atirando ao fim
    Voando inerte
    Voltando leve
    Aos abismos
    De mim.


    Teus poemas são infinitamente lindos e objetivos, Vanessa!

    ResponderExcluir
  6. "Arte, vacina contra o tédio". A quanto tempo...

    ResponderExcluir
  7. a poesia está no céu
    e no abismo...

    onde for a mente, vai o lirismo.

    ResponderExcluir
  8. ...assim,
    ao alcançar o inefável,
    a palavra desfaz o tempo
    tateia o vazio
    fenece em eco.

    ResponderExcluir