domingo, 3 de março de 2013


partem
e nos
partem.

60 comentários:

  1. Limerique

    Porque se ela deve ir-se, parte
    Levando altiva o estandarte
    Mas quem fica chora
    Não pode ir embora
    Então saudade é seu baluarte.

    ResponderExcluir
  2. Vanessa, seu modo de pensar e criar é privilegiado. Você tem uma cabecinha muito especial.
    Bjs
    Manoel

    ResponderExcluir
  3. Toda partida deixa um pedaço.
    Pode ser um pedaço de saudade ou de dor, mas sempre deixa algo.
    Lindo.

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os que partem vão, os que ficam doem.

      Bjo!

      Excluir
  5. Três linhas, menos de cinco palavras, simples, só que simplesmente estrondoso, magnífico. O segredo está na simplicidade, e na simplicidade do seu poema eu me parti ao lê-lo, fui partido com a lembrança de todos aqueles que partiram.

    Cravos.

    ResponderExcluir
  6. Encantado com a vastidão dos teus sentimentos traduzidos em poucas palavras!

    ResponderExcluir
  7. parte o verso que nos reparte numa só parte

    Bjo.

    ResponderExcluir
  8. lindeza de poema certeiro. simplesmente um encanto!

    ResponderExcluir
  9. Limerique

    Há dias simples sem mérito qualquer
    Há outros para o que der e vier
    Porém há um especial
    Maior que todos afinal
    Hoje, oito de março, dia da mulher.

    ResponderExcluir
  10. Seus poemas voam e nos levam junto! Que bom que descobri esse blog... Já sou fã do seu trabalho!
    Abraços

    ResponderExcluir
  11. Eu cá passando o ouvido: https://www.youtube.com/watch?v=im9paWsXA9w

    ResponderExcluir
  12. Essa beleza é de uma completude inacreditável!

    ResponderExcluir
  13. Querida amiga

    As palavras
    que semeiam o pensar
    são preciosas.
    Delas nascem sentimentos
    que nos tiram do lugar comum
    e nos fazem sentir
    o perfume
    precioso da vida.

    Olha o céu de manhã.
    Vês como brilha iluminado
    por teus sonhos...

    ResponderExcluir
  14. Olá, Vanessa! Quero agradecer a consideração que pelo meu lugar, meu canto. Fico contente que tenha gostado.
    E fica aqui o meu juízo: eu gostei demais deste canto seu!
    Li algumas postagens e gostei dos sentidos que seu jogo de palavras trazem, muito rico! ;]
    Agradeço mais uma vez, Vanessa.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  15. E quando perdemos pessoas em nossas vidas é como se arrancassem um pedaço de nós mesmos...

    ResponderExcluir
  16. Muito,
    muito bom.


    (o seu blog também).

    ResponderExcluir
  17. Tamén a min me gustaron os teus poemas, especialmente "Na mesa" e "Sobre telhados". É moi difícil conseguir dicir algo cun estilo tan breve, pero en versos coma eses certamente conséguelo (fáloche en galego porque coido que se asemella máis ó portugués que o castelán, eu non sei falar a túa lingua, perdoa).

    ResponderExcluir
  18. também curti as suas, vanessa. prazer!

    beijos!

    ResponderExcluir
  19. Meras palavras e grandes indiretas diretas. Amo!

    ResponderExcluir
  20. Em mil pedacinhos que só se colam com o retorno...um abraço!

    ResponderExcluir
  21. tem cara de FILHOS num poema de MÃE =]

    ResponderExcluir
  22. Adorei!

    O post e o blogue.

    homem sem blogue
    homemsemblogue.blogspot.pt

    ResponderExcluir
  23. Costuma ser assim. O que parte nos parte...

    bjos

    ResponderExcluir
  24. Acho que finalmente encontrei coragem pra te dizer: você escreve magnificamente. Parabéns e espero ainda ler muita coisa sua.

    ResponderExcluir
  25. Uma simplicidade assim me deixa tão tocada.

    ResponderExcluir
  26. Vi que estás seguindo meu blog, então vim aqui pra te conhecer! Eis que tive uma boa surpresa, gostei do que vi! Gostei do minimalismo do teu blog, e das tuas palavras também! Um abraço!

    ResponderExcluir
  27. Aí a saudade é a única que nos acalenta. Beijos ;*

    ResponderExcluir
  28. E quem sabe assim pode-se formar uma nova parte juntando os pedaços partidos?

    (Tudo muito bonito por aqui.)

    Flores pra ti também.

    ResponderExcluir
  29. Opa, poesia curta também!!! Adoro!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  30. Partem os amores
    E nos partem as dores!

    To gostando daqui

    Beijos

    ResponderExcluir
  31. Impressionado com seus poemas! Estou admirado com tanto talento! Parabéns e obrigado por nos proporcionar essas leituras! Fico por aqui a partir de hoje! Beijos!

    ResponderExcluir
  32. Exatamente assim: em pedaços!

    É sempre uma delícia vir aqui! ;)

    ResponderExcluir
  33. Mas tu não partas...
    Que partir é tão mau como esperar...
    Vanessa, minha querida amiga, tem uma boa semana.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  34. Magnifico! Adorei o seu espaço! Me faz uma visita?
    http://mardeletras2010.blogspot.com.br/2013/03/de-geracao-em-geracao.html

    ResponderExcluir
  35. "Quem parte leva saudades
    de alguém que fica chorando de dor".
    É sempre assim:
    Partiu, partiu!
    Meu beijo.

    ResponderExcluir
  36. Nossa, adorei seu blog!

    Pouquíssimas palavras e muitos dizeres!


    Sigo-te.
    Abraços!
    http://www.portiprati.com/

    ResponderExcluir
  37. Realmente...quando partem,sempre levam uma parte da gente.

    ResponderExcluir
  38. Partidas sempre machucam o coração.

    ResponderExcluir
  39. E ainda temos essa palavra em nosso vocabulário, tao forte e grande as vezes, saudade.

    ResponderExcluir
  40. Lembrou-me disso: http://www.poemirim.org/2012/08/iv.html

    Abraços, amiga.

    ResponderExcluir